30-31 de Agosto, Hotel Royal Atlântica - Macaé, Brazil

Sobre o Evento

Sobre o Evento

O workshop tem como objetivo fomentar soluções tecnológicas para contribuir com o aumento do nível de segurança operacional.

Diante dos cenários desafiadores da indústria associado aos incidentes de alto impacto, no que tange ao aumento da segurança e a redução dos custos, é fundamental uma atuação com foco no comportamento humano, segurança de processo e tecnologias para superar os desafios e atingir o benchmarking.

Para tanto, o evento se propõe debater em 02 dias os temas gestão de riscos, confiabilidade e práticas de gestão de ativos, tecnologias digitais e analytics e fatores humanos.

Chairs do Evento

Conheça os nossos chairs

Speaker 1

Wllisses Afonso

Gerente geral do serviços de poços da Petrobras

Speaker 2

João Cabral

Gerente de Engenharia de Sondagem na Petrobras

Speaker 3

Heitor Gioppo

Executive Managing Director na Ocyan

Programação do Evento

Veja a programação completa do evento

SPE Workshop de Segurança Operacional de Poços
"Salvaguardando a vida com as Tecnologias Digitais"

Registro

Sessão de Abertura

Cole Emmerich

Palestrante 1: CHAIR TÉCNICO JOÃO MARIA CABRAL

GERENTE DE ENGENHARIA DE SONDAGEM NA PETROBRAS

Jack Christiansen

Palestrante 2: CHAIR TÉCNICO HEITOR GIOPPO

Executive Managing Director na Ocyan

Hubert Hirthe

Palestrante 3: CHAIR DO EVENTO WLLISSES

GERENTE GERAL DO SERVIÇOS DE POÇOS DA PETROBRAS

Sessão 1 FATORES HUMANOS – “O ser humano é a última fronteira tecnológica”


Chair 1: José Carlos Silveira Bruno - Petrobras

Chair 2: - Fredjorge Mendes - Vallourec

Lider Técnico: Victor Nazareth


Fatores Humanos, de forma simples e direta, são todos os fatores que influenciam o desempenho humano nas suas atividades. Tais fatores atuam em conjunto e podem ser tecnológicos, ambientais, organizacionais e individuais, dentre outros.

O ser humano, por sua natureza flexível e variável, é o elo mais importante na cadeia de operações. Essas características humanas são fundamentais para reconciliar o trabalho como esperado/prescrito e o trabalho como possível/realizado, fruto da complexidade, dos residuais de incerteza e da variabilidade normal das nossas operações.

Na indústria de óleo e gás, operamos sistemas sócio técnicos complexos. Sendo caracterizados por residuais de incerteza, possuem natureza difícil de prever, antecipar ou controlar, por melhor que seja o planejamento da operação, e onde as falhas, mesmo as mais singelas, tem grande potencial para interagir com outros eventos e resultar em uma catástrofe.

As pessoas que gerenciam as incertezas do trabalho em tais sistemas, contribuindo para a segurança e a eficiência operacional. Daí, a construção de um ambiente de colaboração e corresponsabilidade favorece a participação das pessoas, sobretudo aquelas na linha de frente operacional, promovendo aprendizado, melhoria contínua e inovação.

Portanto, a aplicação dos conceitos e princípios propostos por Fatores Humanos é fundamental continuarmos evoluindo na direção dos mais elevados padrões de excelência em segurança e eficiência operacional.

Palestra 1: O treinamento baseado em competências: por que a aviação elegeu esse parâmetro?

Palestrante: Monica Lavoyer Escudeiro - ANAC

Palestra 2: Engenharia de resiliência

Palestrante: Eder Henriqson - PUC-RS

Palestra 3: Práticas de gestão de pessoas e segurança em ambiente offshore

Palestrante: - Henrique Ottoboni - Halliburton

Palestra 4: Fatores Humanos: uma visão na prestação de serviços offshore

Palestrante: - Helcio Colodette - Brasken

DEBATES (40 min)

ALMOÇO (1h)

Sessão 2 Riscos e Barreiras de segurança


Chair 1: Paulo Cury - Constellation

Chair 2: Luciano Machado - Petrobras

Lider Técnico: Emanuel Isaac - Constellation


O processo de Gerenciamento de Risco tem como objetivo assegurar que os riscos associados às operações sejam reduzidos ao ALARP (As Low As Reasonably Practicable), sendo recomendado a utilização de métodos de análise de riscos, incluindo os aspectos humanos e organizacionais, para todas as atividades de alta complexidade operacional. Os métodos tradicionais de análise de riscos como: o método baseado nas técnicas de avaliação de risco; o método baseado na investigação de acidentes; e o método baseado na filosofia de barreiras de segurança continuam tendo muita importância no cenário atual, porém agora contam com o auxílio de novas tecnologias para aquisição e processamentos de dados que auxiliam na melhor tomada de decisão em relação atividades críticas executadas em poços de petróleo.

Palestra 1: Gestão dinâmica do risco residual operacional de unidades de perfuração offshore

Palestrante: Emanuel Isaac - Constellation

Palestra 2: As contribuições do gerenciamento de barreiras para os fatores humanos

Palestrante: Josue Franca - Petrobras

Palestra 3: Nota técnica 2022 sobre gestão de barreiras

Palestrante: Thiago Ormonde - ANP

Palestra 4: Concepts for Dynamic Barrier Management

Palestrante: A definir

DEBATES (40 min)

COFFEE BREAK (30 min)

Sessão 3 (Especial) Regulador e operadoras somando esforços para melhores resultados


Moderator 1: João Guandaline - Repsol


Descrição da Sessão: O objetivo desta seção especial é discutir a regulação e o relacionamento entre as agências governamentais e as operadoras no que diz respeito à segurança operacional durante as operações de perfuração, intervenção e abandono de poços offshore de petróleo e gás. Além da apresentação dos resultados das auditorias e da evolução da regulação, a intenção é discutir o papel das melhorias de processo, da introdução de novas tecnologias e, finalmente, as oportunidades de mudanças na regulação que colaborem para a redução dos acidentes e incidentes, ao mesmo tempo que permitam o aumento da eficiência operacional.

RODADA 1 VISÃO ANP

Palestrante: - Mariana França - ANP

RODADA 2 Visão das Operadoras

Representantes das operadoras: Shell, Total, Trident, 3R, Petrorio, Karoon e Enauta

COCKTAIL (1h30)

Sessão 4: Engenharia de confiabilidade e gestão de ativos


Chair 1: - Rodrigo Ossemer - Petrobras

Chair 2: - Ernesto Neto

Lider técnico: Osnney


O processo de tomada de decisão é vital para a sustentabilidade a longo prazo das empresas e deve ser suportado pela engenharia de confiabilidade e gestão de ativos para, baseado em dados, aumentar a assertividade.
Não basta ter somente dados, precisamos que agreguem valor, e para isto precisamos que os dados estejam disponíveis, atualizados e com fácil acesso, sejam confiáveis, sejam estruturados, sigam metodologias adotadas globalmente e, principalmente sejam tratados e modelados digitalmente para que possam ser transformados em conhecimento agregando valor ao negócio.
Associado a busca por um padrão mundial de manutenção, alinhada com os objetivos estratégicos da empresa e baseada na relação custo x desempenho, com a implementação da gestão de ativos cujo primeiro princípio é agregar valor. Tudo aquilo que não agrega valor, agrega custo.

Palestra 1: Jornada para Confiabilidade no E&P

Palestrante: - Felipe Barin - Petrobras

Palestra 2: Jornada de confiabilidade e gestão de ativos na ArcelorMittal

Palestrante: - Ernesto Neto - Arcelor Mittal

Palestra 3: Gestão de conbiabilidade de equipamentos dinâmicos

Palestrante: - Marcelo Accorsi - ETM Turbo

Palestra 4: ROTA 55 - Certificação de gestão de ativos na Ocyan

Palestrante: - Consuelo Cortes - Ocyan

DEBATES (40 min)

COFFEE BREAK (30 min)

Sessão 5 Inovação: Soluções Tecnológicas em Segurança


Chair 1: Hardy Leonardo da Cunha Pereira Ointo- consultor - Petrobras

Chair 2: Luiz Cesar Pires- gerente do ATL (Advanced Tech Lab)-Microsoft

Líder Técnico: Juarez


A Indústria 4.0 está relacionada à geração de dados e à conexão entre máquinas, equipamentos e softwares de gerenciamento. O aumento no uso de tecnologias nos sistemas industriais está concentrado na combinação entre Inteligência Artificial (AI) e Internet das Coisas (IoT) e tem otimizado os processos, elevado a produtividade, reduzido as falhas e atuando proativamente nos incidentes ocupacionais e de processos.

As tecnologias são extremamente úteis, nos economizam tempo e otimizam processos. Os sistemas automatizados são elementos que provocam resultados positivos quando é introduzida de uma forma adequada em ambientes organizacionais.

O principal objetivo de promover a cultura de segurança do trabalho é criar uma atmosfera no ambiente organizacional na qual os trabalhadores são conscientes sobre os riscos envolvidos no trabalho, participam do processo de prevenção e avaliação e evitam atitudes ou situações inseguras.

Para alcançar os objetivos acima, nesta sessão serão discutidos os usos das tecnologias na busca de soluções inovadoras nas várias dimensões ou aspectos tratados nas rotinas de trabalho da construção de poços de petróleo.

Palestra 1: Robotica e Espaço confinado- exposição do homem em serviços periculosos.

Palestrante: A definir

Palestra 2: Consciência Situacional na Segurança - O Papel das Geotecnologias

Palestrante: Leonardo Fernandes - Imagem-ESRI

Palestra 3: Digitaliação de Sondas de Perfuração

Palestrante: Lucas de Oliveira Souza - Ocyan

Palestra 4: Visão computacional na antecipação de problemas de segurança

Palestrante: Luiz Cesar Pires - Microsoft

Debates (40 min)

ALMOÇO (1h)

Sessão de encerramento

Cole Emmerich

Palestrante 1: CHAIR TÉCNICO JOÃO MARIA CABRAL

GERENTE DE ENGENHARIA DE SONDAGEM NA PETROBRAS

Jack Christiansen

Palestrante 2: CHAIR TÉCNICO HEITOR GIOPPO

EXECUTIVE MANAGING DIRECTOR NA OCYAN

Hubert Hirthe

Palestrante 3: CHAIR DO EVENTO WLLISSES

GERENTE GERAL DO SERVIÇOS DE POÇOS DA PETROBRAS

Agradecimentos e conclusões

Patrocinadores

DIAMOND

Apoiadores

Local do Evento

Informações sobre o local do evento e fotos

Royal Atlântica Macaé Hotel

Av. Atlântica, 1546 - Cavaleiros, Macaé - RJ, 27920-390

Registre-se

SPE Members
R$1.800,00

Non SPE Members
R$2.200,00

Contato

Entre em contato conosco através dos canais abaixo.

Endereço

Av. Atlântica, 1546 - Cavaleiros, Macaé - RJ, 27920-390